sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

A Guerra dos Mascates

    



   A expulsão dos holandeses do Nordeste e a consequente decadência da economia açucareira, após a descoberta de ouro nas Minas gerais, haviam lançado a aristocracia rural da vila pernambucana de Olinda em dificuldades econômicas. Entretanto, ainda controlava a vida política da capitania, por meio de sua câmara municipal, à qual estava submetido o povoado de Recife.
    Enquanto Olinda mantinha seu predomínio político, Recife tornava-se o principal centro econômico de Pernambuco, com o intenso comércio exercido pelos portugueses, apelidados de mascates. Os comerciantes, que tinham grandes lucros com sua atividade, passaram também a emprestar dinheiro a juros altos aos olindenses em dificuldades.
    A emancipação de recife, em 1709, obtida devido à pressão dos comerciantes portugueses e que lhe dava o estatuto de vila independente, revoltou os olindenses e deu início à Guerra dos Mascates. Os principais envolvidos no conflito foram presos pelo governador pernambucano nomeado pela Coroa um ano depois, Félix José Machado, que manteve a autonomia de Recife (transformada no ano seguinte em sede administrativa de Pernambuco). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário